Como é viajar para Bangkok de Ethiopian Airlines

Em fevereiro de 2016 voamos pela primeira vez de Ethiopian Airlines. Segue a nossa experiência nessa cia aérea:
O voo das 3h30 partindo de Guarulhos para Addis Abba (Etiópia) só abre o check-in cerca de 2 horas antes, mas… Chegamos cerca de 3 horas antes e o GRU já tinha “organizado” uma fila distante da área do check-in. Dica: a companhia não possuem uma área exclusivamente dela, daí, passando pelo terminal 2 “D” antes do horário de abertura do check-in, onde estiver a Air-Maroc, lá será a Ethiopian.
Já esperava algo desorganizado, mas não daquele jeito. Quando liberaram os que estavam na fila para finalmente iniciarem o check-in, muitas pessoas que não estavam na fila simplesmente entraram para a área de check-in e foram as primeiras a serem atendidas – entre eles: brasileiros, chineses, etc. Conversamos com alguns funcionários ou que realizavam check-in da Ethiopian (pareciam terceirizados) ou do GRU e finalmente acabaram controlando a fila para não ter mais “furões”.
No final, acabamos descobrindo (por conta própria, porque ninguém havia avisado) que a entrada para o check-in mais à direita, que era reta e não fazia ziguezague, era tanto para preferencial quanto para quem já havia feito o web check-in, ou seja, cortamos uma meeeega fila, mas de maneira correta. Outra dica é essa: faça o web check-in, imprima os cartões de embarque e localize a fila correta, com certeza evitará alguns transtornos.
A aeronave do trecho GRU-ADD é muito boa: cadeiras confortáveis e espaçosas e com algumas opções de entretenimento (depois de rodar 3 filmes, não que tenha assistido algum por inteiro hehehe, parou de funcionar… Acabei escutando música, já que assistir a única coisa disponível, rota do avião, estava meio entediante). Eles disponibilizaram uma cobertinha, almofadinha e fones de ouvido.

20160204_114029

Aeronave de Guarulhos para a Etiópia

Enquanto a aeronave era boa, o serviço… Bem, esse era peculiar. Quando entregaram a 1a refeição não ofereceram opção nem de prato nem de bebida, como se já soubéssemos previamente o que seria servido. Cerca de 6 horas depois dessa refeição estávamos morrendo de fome e vimos alguns passageiros comendo em pé, na área dos comissários. Fomos lá e matamos nossa fome: pão com presunto e queijo. Delícia! Achamos bem esquisito esse self-service, mas… Ficamos bem felizes depois, barriga é cheia é bom demais! Quase uma hora antes do desembarque eles haviam terminado a entrega da 2a refeição, dessa vez ofereceram: carne ou peixe.
Chegamos em Addis um pouco antes do horário previsto e sem demora já pudemos desembarcar, dois ônibus já estavam aguardado para nos levarem para o saguão do aeroporto.

20160312_112437

Aeroporto de Addis (foto tirada na volta)

Confesso que me surpreendi positivamente com o aeroporto. Li relatos de que se assemelhava a uma rodoviária e que era bastante desorganizado, mas não achamos isso não. O que precisa saber sobre o aeroporto:
1- beeeem frio!
2- se entrar no seu portão de embarque, o nosso era o 17, não há opção de comida/bebida lá dentro, somente banheiros.
3- os preços de comidas/bebidas são beeeem caros: 8usd um sanduíche + 1 bebida! Sim, reparou que falei usd? Pois é, não se preocupe que não será necessário trocar moeda, os preços já estão em dólar, euro e libra! :O (pagamos 2usd por 1 água, pelo menos era de 1 litro, e 5usd por um cappuccino de umas 300mls). >> Spoiler: jantávamos em Siem Reap por cerca de 10usd!!
4- toda hora eles anunciam os voos e até te perguntam qual era o seu. Dentro do portão os funcionários passam chamando em voz alta pelo voo. Diferente, mas funciona!
Quanto ao trecho de Addis para Bangkok, li que era terrível! Novamente fomos surpreendidos: uma aeronave muito confortável e com diversas opções de entretenimento. Além de disponibilizarem, novamente, uma cobertinha, almofadinha e fones de ouvido, recebemos um kit com máscara de dormir, meia, pasta dental e escova descartável. 😉 A comida também estava bem gostosa! Olha aí as fotos:

20160205_014756 20160205_022910

A VOLTA
Diferentemente do nosso check-in em Guarulhos, o check-in no BKK foi super de boa. O voo até Addis também foi super tranquilo, mas não tinha opções de entretenimento como na ida (dormimos ele todo, daí nem fez falta :P). A espera lá na Etiópia foi bem curta. Desembarcamos e já fomos direto para nosso portão, que era bem bagunçado mas dava certo, muitos voos saíam dele.
O voo de volta para o Brasil possuía entretenimento mas a comida, infelizmente, não estava tão boa quanto a da ida.

RESUMINDO
Com certeza, voaríamos novamente pela Ethiopian. O preço foi bom, houve pontualidade e as expectativas foram superadas!

Compartilhar isso:

Como planejar uma viagem?

planejar

Quando fomos planejar nossa lua de mel não tínhamos nenhum lugar específico que queríamos ir, queríamos vários! Rsrsrs Aí já começava o planejamento da viagem: tínhamos a quantidade máxima de dias que poderíamos ficar, a época, o que esperávamos da viagem, etc. Organizar uma viagem muitas vezes dá trabalho, ou muuuuito trabalho (como a viagem para o Sudeste Asiático/2016), mas é tão bom fazer um roteiro com a nossa cara. Caso prefira não ter nenhum, ou quase nenhum trabalho, basta contratar um pacote de viagem ou entrar em contato com uma agência de viagens para que eles organizem tudo pra você. Se preferir ter todo esse trabalho e economizar vários $$, seguem algumas dicas:

1) DURAÇÃO
Quantos dias você tem disponível? Esses dias podem ser em qualquer época do ano ou tem algum mês específico: “tenho apenas 12 dias de férias para gastar à partir de setembro”?
Saber o máximo de dias e a época que eles podem ser usufruídos é imprescindível.

2) QUANDO IR
Infelizmente, o festival de lanternas de Chiang Mai não acontecia quando fomos para lá (ele acontece normalmente em novembro). Então, saber quando acontece aquilo que você realmente quer muito ver/participar é tão importante quanto saber se a época que está pensando em ir é a melhor. Já pensou sonhar com Fernando de Noronha e ir na época que chove muito por lá? Praia com chuva não é tão legal =/

3) QUANTOS DIAS EM CADA LUGARcalendar-2
Pra fazer tudo que você quer, ou que acabou de descobrir que quer (hehehehe), quantos dias você vai precisar? Dá pra fazer: Paris, Londres, Berlin, Amsterdã, Roma, Lisboa, Madri, Barcelona (ufa!), em 20 dias? PERA!! Você não precisa conhecer TUDO de uma vez, talvez acabe não conhecendo nada… No roteiro turistão, em geral, cada cidade tem sua quantidade de dias exigida para conhece-la. CORTE cidades do seu planejamento de viagem. Sim, dói bastante, é difícil, mas a gente consegue. Ir só pra dizer que foi, pra fazer “check”, não é legal. Não se vê as coisas, tampouco as sente…

4) LOGÍSTICA
Considere SEMPRE os tempos de deslocamento. Para ir pra Tailândia gastamos 2,5 dias apenas com a ida e volta, isso porque pegamos uma das rotas que menos tempo se leva…
Se você vai para algunS lugareS e gostaria de aproveitar o máximo possível cada lugar, esse detalhe é muito importante. Verifique como irá ocorrer a locomoção entre as cidades: avião, carro, trem, ônibus…
Acabei de organizar nossa próxima viagem: Peru. E essa logística fará total diferença nos nossos (17) dias de viagem.

5) AGUARDAR A PROMOÇÃO
Pagar mais barato, por que não? Utilizamos os aplicativos tanto do Melhores Destinos quanto do Passagens Imperdíveis para sermos avisados das promoções de passagem que estão acontecendo.

6) COMPRA DA PASSAGEM
Às vezes essa tarefa não é nada simples. Se o destino é internacional, possivelmente seu cartão de crédito também deverá ser internacional. E em muitos sites (internacionais, não só de compra de passagem) são exigidas as confirmações do “Verified By Visa” e “MasterCard SecureCode”.visa
É, basicamente, como uma senha para realizar compras online. Cada banco tem sua exigência, mas todos devem ser cadastrados previamente: senha, pergunta/resposta, token, etc. É bom verificar com seu banco como obter o acesso para seu cartão, seja ele Visa ou Master.
Ahhh, usamos sites como: decolar, submarino viagens, entre outros, para cotar as passagens. PORÉM, fechamos diretamente com a companhia aérea, seja pelo site ou por contato telefônico. Porque pagar aqueles encargos desnecessários se dá para não pagá-los? 😉

7) HOSPEDAGEM
OBRIGATORIAMENTE: verifique a localização do seu hotel!!! Vai que ele é tuuuuudo de bom e é do outro lado da cidade, sendo que o que você quer é exatamente conhecer a cidade?
Já usamos: o site do próprio hotel, empresa de turismo, Hoteis.com e Booking.com. Mas em geral, utilizamos este último. E você pode usar as avaliações do Tripadvisor para uma infinidade de escolhas: onde comer, o que fazer, qual empresa contratar, onde ficar… (Obs.: observe se as últimas avaliações são recentes. Já descartamos a contratação de um passeio numa empresa de turismo relativamente bem cotada devido a última avaliação ter sido feito há mais de 3 anos. Será que a empresa ainda era tão boa quanto já foi? Enfim, leve isso em consideração)

8) MONTE SEU ROTEIRO
Com todos os outros detalhes já definidos dá pra juntar um monte de informação sobre o que você quer fazer no(s) destino(s). A internet e sua infinidade de blogs tão aí para isso 🙂
IMPORTANTE: Talvez seja bem interessante verificar os horários de funcionamento das atrações. Infelizmente, não deu para visitarmos o Mausoleu de Ho Chi Minh, em Hanoi, pois não estávamos na cidade nos dias “certos” (que era terça, quinta, sábado e domingo, SOMENTE de 08-11am). Ahhhh! Verificar se aquele restaurante que você PRECISA ir ainda fica onde você imagina que é, também, é muuuuito válido. No post sobre Cape Town você vai poder ver nossa saga para chegar no La Colombe).

lacolome10

La Colombe

9) PASSAPORTE
Verifique SEMPRE a validade do seu passaporte! Em geral, os países aceitam passaportes com, no mínimo, 6 meses de validade.
Conhecemos algumas pessoas que tinham viagem ou para o dia seguinte ou para daí 3 dias e conseguiram resolver o problema do passaporte vencido. O passaporte emitido na hora, em caráter ultra emergencial, ocorreu na própria Polícia Federal, com a ajuda de funcionários que se sensibilizaram com a situação (era viagem de lua de mel na segunda-feira à tarde, descobriram sobre o passaporte no final do domingo, e graças à Deus e aos bons corações na PF conseguiram, madrugando lá, a emissão do passaporte ainda pela manhã da segunda. UFA!!)
No outro caso, tiveram que ir ao Na Hora (em Brasília temos esses postos do Na Hora com diversos serviços juntos: PF, Detran, Secretaria de Fazenda, etc.) e o passaporte ficou pronto em 24 horas.
Obs.: no site da PF é informado que o passaporte de emergência é emitido em até 24 horas do seu requerimento.

10) VISTO, VACINA E EXIGÊNCIAS
Cada país tem suas exigências: visto, vacina de febre amarela, quantidade mínima de $ para entrada (nunca me pediram pra verificar mas… Vai que pedem, né?), etc. Então, verifique bem antes quais são as exigências do seu destino para não ser barrado quando chegar lá.

MODO AVIÃO…
Assim que embarcamos os nossos celulares ficam em modo avião, e permanecem assim até voltamos! 😀 Mas e aí? Ficamos totalmente fora do mundo virtual? Não falamos com os nossos pais? E nos desligamos do mundo? Não, não é isso. Rsrsrs
Primeiro que o modo avião economiza bateria, segundo que ele evita qualquer problema futuro de uma conta absurda de celular quando voltar pra casa. Nada de roaming internacional, nem nacional. Por isso usamos o modo avião. Quanto à internet e ligações… Quando um determinado lugar tem internet (hotel, aeroporto, Mc Donalds, Starbucks, restaurante, no meio da rua, etc.) a gente ativa o wi-fi do celular e fica conectado, permanecendo no modo avião. Usando o aplicativo do Skype a gente pode ligar pra onde quiser: para fixo ou celular de qualquer lugar do mundo. Compramos R$ 25 em crédito e ele fica lá… Dura quase infinito rsrs. Do Whatsapp também é possível fazer ligações, mas só para celulares que possuam whats, e a qualidade da ligação às vezes não é tão boa.
Descobrimos recentemente o aplicativo Maps.ME. Dá para baixar o mapa do país ou da cidade que você deseja, depois é só utilizar todos as demais funcionalidades do app de modo off-line. Para organização de roteiro eu usava bastante os mapas que criava no Google Maps. Agora eu já marco direto no mapa baixado. Daí fica bem simples a organização do roteiro e durante a viagem já tá tudo lá, na palma da mão. Dá pra dispensar diversos mapas de papel e usar o aplicativo, além de verificar se o táxi está fazendo o trajeto “correto”.

Bom, é isso. Espero que tenha ajudado um pouquinho com a organização da sua próxima viagem! Se tiver alguma dúvida, basta deixar aqui nos comentários. 😉

Compartilhar isso: